Só por alguns minutos

Acordo. Vejo no relógio a hora: ainda é madrugada, o céu continua escuro. Não lembro dos sonhos, provavelmente não os tive. Fantasio então a vida que queria pra mim. Entre uma fantasia e outra, há a pancada de realidade. Eu não sou assim, nem nunca vou ser; não existem mudanças pra alma. “Talvez seja só uma fase”, talvez não. Reviro-me na cama pela centésima vez, o sono não volta. Penso na produtividade do meu dia, mas não existe nada além de sobreviver. Eu costumo dizer a mim mesma que todo dia é uma nova chance, chance essa que não aproveito. Algo dentro de mim diz que não vai dar certo, que não vale a pena tentar. As pessoas, nem mesmo as mais próximas, entendem. E, por mais que eu queira, não posso culpá-las e nem esperar que entendam. É tudo ou nada; escolho o nada. Levanto. Tomo um café, já estava morrendo de fome. Volto pro quarto, deito mais uma vez. Olho pro teto e relembro das tantas vezes em que estive na mesma situação. Perco a fé, mas só por alguns minutos. Então, junto com a fina camada da manhã que chega, finalmente durmo.

Arte por Anka Zhuravleva

Anka, nascida Anna Belova, é uma fotógrafa e pintora russa. Decidiu seguir os passos da mãe, também artista, ao entrar para o Moscow Architectural Institute. Com a morte da mãe no final de 1997 e do pai em 1999, a vida de Anka mudou drasticamente. A partir daí, adotou um estilo de vida completamente alternativo – trabalhando como tatuadora e vocalista de uma banda de rock. Ainda em 1999, Anka posou para playboy, porém, a carreira de modelo também não era o que procurava. Somente em 2001, ao conhecer seu então marido, Alexander Zhuravlev, foi que se recuperou da má fase e começou a fazer pinturas a óleo. 5 anos depois, ao perceber que a maioria das suas inspirações vinham de fotos, resolveu começar a fotografar. E não é que a moça é MUITO talentosa? Seus trabalhos são todos muito fofos; as fotos me lembram algo místico, como se tivesse um toque de mágica.

387812_278758648832293_127111445_n

kletka

Anka

img_3165_sm

Lindas, né? Vale a pena dar uma passada no site pra ver um pouquinho do backstage e o restante do trabalho da moça. Além disso, ela também tem uma página no facebook, corre lá pra curtir! =)

Top 5 – Filmes que fazem (re)pensar

I – O HOMEM ELEFANTE

Imagem

O filme é baseado em fatos reais e conta a trajetória de Joseph Merrick, jovem inglês do século XIX portador de uma doença genética que deformou todo o seu corpo. Devido a doença, Joseph era conhecido como “Homem Elefante” e passou boa parte da vida num show de horrores, até ser descoberto pelo médico  Frederick Treves, que o abrigou permanentemente no hospital em que trabalhava. O resto do filme retrata a adaptação de Merrick na sociedade, que era altamente preconceituosa naquela época. É decididamente um dos meus filmes favoritos, vale muito a pena ver, pois muda – e muito – nosso conceito sobre beleza.

“De facto, a minha aparência é algo medonha, mas censurar-me é censurar a Deus. Pudesse eu recriar-me novamente, não te decepcionaria. Pudesse eu abarcar o mundo de pólo a pólo ou abraçar o oceano num amplexo, seria medido pela minha alma, a base da mente do homem.” – Poema de Isaac Watts com que Joseph costumava assinar suas cartas! Lindo, né?!

II – O MENINO DO PIJAMA LISTRADO

Imagem

Filme lindo que retrata um assunto já bastante explorado,  o nazismo, mas do ponto de vista de duas crianças. Bruno, filho de um oficial nazista e Shmuel, judeu preso num campo de concentração. Com o desenrolar do filme, ambos criam uma amizade muito forte e verdadeira, mostrando pra gente, mais uma vez, que a crueldade só existe no coração dos “homens grandes”. O fim é bem trágico, completamente inesperado, mas vale a pena ver.

“A infância é medida por sons, aromas e visões, antes que o tempo obscuro da razão se expanda.”

III – SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS

Imagem

O filme conta da vida monótona de estudantes em uma escola conservadora da Inglaterra e a mudança que ocorre com a chegada do professor John Keating, também ex-aluno do colégio, que começa a plantar na cabeça dos jovens a sementinha do “auto-conhecimento”. Os jovens, até então apáticos, começam a sonhar, desejar, ter um pensamento inovador. É um filme muito bonito e também possui um desfecho inesperado.

Carpe Diem (Aproveite o dia)

IV- BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS

Imagem
Quem nunca teve vontade de apagar alguma lembrança ruim que atire a primeira pedra (hehehe)! O filme fala sobre a história de um casal, Clementine e Joel, que, desiludidos e com uma relação desgastada pelas diferenças, tentam apagar um ao outro da memória. O desenrolar é todo muito fofo e, na minha opinião, esse filme relata a realidade do que é o amor: não é nenhum mar de rosas, como muitos filmes de romance fazem parecer.

“Feliz é o destino da inocente vestal. Esquecendo o mundo e sendo por ele esquecida. Brilho eterno de uma mente sem lembranças. Toda prece é ouvida, toda graça se alcança.” Poema de Alexander Pope que inspirou o filme.

V – TEMPOS MODERNOS

Imagem

Basicamente o filme se trata de uma enorme crítica ao capitalismo desenfreado e trabalho escravo – coisa que existe até hoje. Não tem nenhum drama, é bem-humorado e rende bastante gargalhadas. É incrível como Charles Chaplin consegue, com humor, fazer uma crítica tão grande e necessária como essa. Recomendasso!

Como o filme em si é mudo, fica aqui um trechinho da música Smile, que toca no final:

“Ilumine seu rosto com alegria
Esconda qualquer traço de tristeza
Embora uma lágrima possa estar tão próxima
Esse é o tempo que você tem que continuar tentando
Sorria, o que adianta chorar?
Você descobrirá que a vida ainda continua
Se você apenas sorrir”  Linda!

Bom, é isso, gente! Espero que vocês tenham gostado ❤

Um pedacinho de mim

presente do vô                                             esse chaveirinho foi um presente do meu avô, quando eu tinha uns 6/7 anos

Como quase todo livro tem sua dedicatória, resolvi deixar nesse cantinho a minha também.

Dedico ao meu avô, não só o blog, mas todas as experiências felizes que tive – e ainda vou ter -, pois eu nada seria se não fosse pela força que ele me dá, mesmo de longe, todos os dias. Você faz uma falta imensa, .