Só por alguns minutos

Acordo. Vejo no relógio a hora: ainda é madrugada, o céu continua escuro. Não lembro dos sonhos, provavelmente não os tive. Fantasio então a vida que queria pra mim. Entre uma fantasia e outra, há a pancada de realidade. Eu não sou assim, nem nunca vou ser; não existem mudanças pra alma. “Talvez seja só uma fase”, talvez não. Reviro-me na cama pela centésima vez, o sono não volta. Penso na produtividade do meu dia, mas não existe nada além de sobreviver. Eu costumo dizer a mim mesma que todo dia é uma nova chance, chance essa que não aproveito. Algo dentro de mim diz que não vai dar certo, que não vale a pena tentar. As pessoas, nem mesmo as mais próximas, entendem. E, por mais que eu queira, não posso culpá-las e nem esperar que entendam. É tudo ou nada; escolho o nada. Levanto. Tomo um café, já estava morrendo de fome. Volto pro quarto, deito mais uma vez. Olho pro teto e relembro das tantas vezes em que estive na mesma situação. Perco a fé, mas só por alguns minutos. Então, junto com a fina camada da manhã que chega, finalmente durmo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s